segunda-feira, 28 de abril de 2008

Finais do Paulistão em 2001 e 2008 : Semelhanças cristalinas

Na primeira partida da final do Paulistão 2008, entre Palmeiras e Ponte Preta, aconteceu o que já era esperado. O Palmeiras, favorito ao título, não teve maiores dificuldades para bater o time campineiro em pleno Moisés Lucarelli, por 1 x 0, em uma cabeçada certeira do atacante palmeirense Kléber. Sem Renato e Elias, a equipe ficou sem articulação no meio de campo, e o treinador Sergio Guedes não conseguiu resolver o problema de criação da equipe da macaca durante a partida.

Aliás, a última decisão entre um time da capital e um do interior, no Paulista, foi em 2001 (não levo em consideração a final entre Ituano X São Paulo, em 2002, pelo tal “Super Paulistão”, que sequer foi considerado como título Paulista). Corinthians e Botafogo - RP foi uma decisão com semelhanças em relação a essa decisão de 2008. Se agora, antes da final, o Palmeiras já era favorito ao título; em 2001, o Timão também, mesmo antes da final, era franco favorito.

Outra semelhança: em 2001, o técnico do Corinthians era Luxemburgo. O mesmo Luxemburgo que agora está no Palmeiras. Só citando mais uma semelhança, para não me alongar muito, o Corinthians na ocasião tinha um jogo importante contra o Grêmio, pela Copa do Brasil, marcado para após a primeira partida da final do Paulista. Assim como o Palmeiras, que também tem compromisso de vida ou morte contra o Sport, após ter disputado a primeira partida da final do Paulistão nesse ano.

A única diferença é que o Corinthians, em 2001, mesmo tendo um compromisso importante pela frente, marcado para depois da primeira partida da final do Paulistão, correu e jogou muita bola, não se incomodando com o calor intenso de Ribeirão Preto, e aplicou 3 X 0 no Botafogo. Já o Palmeiras, nessa primeira partida da final, não correu, andou em campo, mostrou pouco interesse, e procurou não se desgastar sob o forte sol de Campinas, com os jogadores claramente se poupando para a partida contra o Sport. E mesmo assim, não correndo e só tocando a bola, em certos momentos da partida, envolveu totalmente a Ponte, que simplesmente não conseguia colocar a bola no chão, passando o tempo todo distribuindo chutões e cabeçadas, quase todas sem direção.

O fato é que se o Palmeiras tivesse corrido, e se esforçado, teria aplicado facilmente 3 x 0 na Ponte. Os mesmo 3x0 aplicados pelo Corinthians no Botafogo, em 2001. E isso seria mais uma semelhança para ser anotada, entre essas duas finais.

O futebol, de fato, é curioso. Luxemburgo se encontra em uma situação muito semelhante àquela que viveu em 2001, pelo Corinthians. Por falar nisso, Wanderley conquistou tanto pelo Palmeiras, quanto pelo Corinthians, Paulistas e Brasileirões. Sorte dessas duas equipes, que já tiveram ( no caso o Palmeiras ainda tem) o privilégio de ter um técnico que pode ser arrogante às vezes, mas com certeza, sabe como ninguém comandar um time de futebol dentro de campo.

5 comentários:

Patrícia Gomes disse...

Perfeito Paulo, nem eu tinha me dado conta a semelhanças do Timão em 2001 e o atual Palmeiras ambos com o Luxa como treinador. Semelhanças essas que chegam a impressionar mesmo.

Renato Cordoni disse...

Realmente são semelhanças bem claras, dificilmente o Palmeiras perde esse título. Excelente texto Paulo muito bom ter sua colaboração no Blog!!!

MAURO BETING disse...

Paulo e carissima Patrícia, fiz comentário semelhante na TV, e fico feliz de ver gente nova falando ainda melhor, e com propriedade.
Parabéns a todos.

Paulo Cesar Cabral disse...

Ganhei elogio do Mauro Beting ! Ganhei a semana! Abraços para todos.

Renato Cordoni disse...

É muito importante que pessoas do porte de Mauro Beting estejam prestigiando nosso Blog e os textos dos nossos Colunistas.
Parabéns Paulo, seu texto realmente está digno de elogios!!!